Gripe ou resfriado?

//www.flickr.com/photos/pingnews/434420191/A gripe e o resfriado são infecções respiratórias causadas por vírus, e possuem algumas semelhanças. No entanto, contrariando o que muita gente pensa, não são a mesma doença: têm sintomas, causas e tratamentos distintos.

Ambas costumam ter maior prevalência no inverno. Em parte devido à aglomeração de pessoas em locais menos ventilados, o que facilita a disseminação do vírus. Boas medidas preventivas são evitar ambientes com tais características, além da boa alimentação.

O resfriado

Dos inúmeros vírus que causam o resfriado (mais de 200 tipos), o mais comum é o rinovírus.

O resfriado ocorre mais comumente. Não é grave e dura aproximadamente quatro dias. Um sintoma bem característico é a coriza, inicialmente aquosa e abundante, torna-se, progressivamente, viscosa, espessa e de cor amarelo-esverdeada. Normalmente também apresenta obstrução nasal e tosse, que podem durar até duas semanas. completa Mauro Gomes, diretor da Comissão de Infecções da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT):

“Espirros, dor de cabeça, dor de garganta, febre baixa, são outros sintomas do resfriado. É transmitido pelo contato direto pessoa-a-pessoa, por meio das gotículas eliminadas ao falar, tossir ou espirrar”.

Segundo José Eduardo Cançado, presidente da SPPT, o resfriado é viral, portanto, não há tratamento especifico, pois antibiótico não mata o vírus. Pondera Mauro Gomes:

“Quando os antibióticos são empregados com a intenção de prevenir complicações bacterianas, chega-se a um problema e não à solução. Há uma seleção natural de bactérias resistentes aos antibióticos, complicando o quadro clínico”.

O aconselhado é que o paciente repouse e use agasalhos, que melhoram o bem estar.

“Não há vacina para o resfriado devido ao grande número de vírus causadores …”.

A outra

A gripe é causada por um vírus da família Influenzae, de tipos A, B e C, que sofre constantes mutações. Devido à natureza inconstante do vírus, há o risco de desenvolvimento de compilações até fatais. Isso faz da gripe uma grande ameaça à saúde pública.

Costuma durar mais de uma semana e, além de apresentar os mesmos sintomas do resfriado, tem sintomas como febre alta, dores pelo corpo, fadiga, tosse. Pode comprometer também os brônquios e os pulmões, levando à pneumonia.

Outras consequências são a sinusite, otite média, descompensação do diabetes mellitus, agravamento de doenças pulmonares crônicas, insuficiência e/ou arritmias cardíacas. Explica Mauro:

“Os vírus da gripe disseminam-se principalmente pelo ar. Difundem-se por gotículas produzidas durante a tosse, pelos espirros, ao falar e ainda pela auto-inoculação, após o contato das nossas mãos com as superfícies como toalhas, corrimãos, maçanetas etc., previamente contaminadas com secreções respiratórias de pacientes com gripe”.

Para a gripe existe a vacina antiinfluenzae:

“É necessário lembrar que a vacina não confere 100% de proteção contra a gripe…”.

Outro fator essencial é o fato de que, devido ao vírus da gripe passar por diversas mutações, a vacina tem de ser tomada todos os anos, além de que os anticorpos produzidos diminuem com o tempo.

O papel da dieta na prevenção da gripe

Uma boa alimentação pode ajudar a prevenir gripes e resfriados, e mesmo para quem já está com os sintomas, alimentar-se bem pode encurtar a duração dessas doenças. A alimentação saudável, rica em alimentos fontes de vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes, fortalece o sistema imunológico e cria defesas orgânicas para combater o vírus.

Por isso, para quem quer ficar livre desses dois problemas, a dica é adotar uma dieta equilibrada e variada, baseada em frutas, vegetais folhosos, legumes, grãos integrais (cereais e leguminosas).

Dentre as vitaminas e minerais que atuam fortalecendo nosso sistema imunológico destacaremos aqui as vitaminas A, C, E e os minerais zinco e selênio. Veja as principais funções imunológicas de cada um desses nutrientes e em quais alimentos são mais encontrados.

VITAMINA A = apresenta um papel muito importante na manutenção da integridade das membranas mucosas. Sua deficiência provoca uma redução do número de linfócitos T circulantes, aumentando a probabilidade de infecções bacterianas, virais ou parasitárias. Os alimentos vegetais ricos nessa vitamina são: cenoura, abóbora, batata doce, damasco seco, brócolis, melão.

VITAMINA C = estimula a resistência às infecções através da atividade imunológica de leucócitos. Aumenta a produção dessas células de defesa, que tem efeito direto sobre bactérias e vírus, elevando a resistência à infecções. Acerola, frutas cítricas (limão, laranja, lima), kiwi, caju, tomates e vegetais folhosos crus são fontes excelentes. Morangos, repolho e pimentão verde são boas fontes. É facilmente destruída pela luz e pelo calor. Um suco de laranja com acerolas, por exemplo, deve ser consumido imediatamente após preparo para que não haja grande perda da vitamina C.

VITAMINA E = tem a capacidade de interagir com as vitaminas A e C e com o mineral selênio, agindo como antioxidante. Sua função primordial é proteger as membranas celulares contra substâncias tóxicas, radiação e os temerosos radicais livres que são liberados em qualquer reação química do organismo e podem causar sérios danos às estruturas das células, detonando o processo de envelhecimento e desencadeamento de algumas formas de carcinogênese. Alimentos ricos em vitamina E são o germe de trigo (fonte mais importante), arroz, algodão, milho e girassol, amêndoas, nozes, castanha do Pará, vegetais folhosos e legumes.

ZINCO = esse mineral atua na reparação dos tecidos e na cicatrização de ferimentos. Uma deficiência de zinco resulta em diversas doenças imunológicas; a deficiência grave causa linfopenia (grande diminuição do número de linfócitos). Fontes vegetais importantes de zinco são cereais integrais, feijões e nozes.

SELÊNIO = assim como a vitamina E, esse mineral possui grande capacidade antioxidante, ou seja, neutraliza a ação dos radicais livres (formados devido a ação dos raios solares, poluição, fumaça de cigarro, entre outros) no nosso corpo, retardando o processo de envelhecimento e evitando o desencadeamento de algumas formas de câncer. Fonte se selênio – Castanha do pará (uma por dia é suficiente).

Probióticos e prebióticos: sua função no sistema imune

O intestino humano é um ecossistema microbiano intensamente populoso. Em condições normais, centenas de espécies de bactérias estão presentes, com números típicos de 1011-1012/g.

Essa microbiota intestinal tem um papel muito importante sobre o sistema imunológico. Uma microbiota saudável, constituída principalmente por lactobacilos e bifidobactérias promove o desenvolvimento de anticorpos e ativação de linfócitos, células de defesa do nosso corpo que atuam combatendo principalmente infecções virais. Ao contrário, uma microbiota desequilibrada, com predominância de bactérias prejudiciais como por exemplo as enterobactérias, permite a invasão da mucosa intestinal por microorganismos patogênicos, causadores de infecções e doenças. Estudos mostram que esse desequilíbrio pode também causar ativação de carcinógenos em nosso corpo.

Alimentos enriquecidos com probióticos (microorganismos vivos do tipo lactobacilos e bifidobactérias) e prebióticos (componentes extraídos de certos vegetais conhecidos como inulina, oligossacarídeos, frutooligossacarídeos) promovem a colonização do trato intestinal com bactérias benéficas, melhorando o funcionamento do sistema imunológico, reduzindo o risco de inúmeras doenças, entre elas, as gripes e resfriados.

Dicas para fugir da gripe

A seguir, algumas dicas que poderão ajudar a prevenir ou atenuar os sintomas de gripes e resfriados:

– Tenha hábitos alimentares saudáveis;
– Consuma pelo menos 5 porções de frutas e outros vegetais todos os dias;
– Consuma alimentos enriquecidos com probióticos e prebióticos;
– Ingira pelo menos de 8-10 copos de água/dia. A água deixa os cílios pulmonares mais fortes e amolece o muco, facilitando o trabalho desses cílios;
– Faça lavagens nasais com solução fisiológica e estimule, principalmente crianças, a assoar o nariz sempre que possível;
– Não administre descongestionantes, anti-inflamatórios ou xaropes sem consultar um médico;
– Se você estiver com gripe, o repouso é fundamental para uma recuperação mais rápida.

Adaptação de Luis Guerreiro

Fontes:
Pulmonar Blog
Jocelem Salgado – Nutricionista


var nMaxPosts = 5; var sBgColor; var nWidth; var nScrollDelay = 175; var sDirection=”up”; var sOpenLinkLocation=”S”; var sBulletChar=”♥”;

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: